Departamento de Conservação e Restauro

Iluminura Medieval

Colour in medieval illuminated manuscripts: between beauty and meaning

Os manuscritos iluminados medievais encontram-se entre os objectos artísticos mais valiosos da herança cultural europeia. Os códices portugueses datam da formação de Portugal como reino e são testemunho das ideias, religião e política medievais.

Colour in medieval illuminated manuscripts: between beauty and meaning

Os manuscritos iluminados medievais encontram-se entre os objectos artísticos mais valiosos da herança cultural europeia. Os códices portugueses datam da formação de Portugal como reino e são testemunho das ideias, religião e política medievais.

Resumo integral
Santa Cruz de Coimbra, São Mamede do Lorvão e Santa Maria de Alcobaça são importantes no contexto da estratégia política régia, que passou pela  criação de mosteiros para a manutenção dos recentes territórios reconquistados pelos cristãos aos muçulmanos, assumindo uma função de manutenção da paz e da ordem social.
Neste projecto propomos explorar as questões relacionadas com o significado social da cor na iluminura medieval portuguesa, executada durante o séc. XII e o 1º quartel do séc. XIII nos mosteiros de Alcobaça, Lorvão e Santa Cruz. O uso e produção da cor na iluminura medieval portuguesa foi tanto uma consequência da tecnologia disponível como uma opção cultural e artística; ao definir as especificidades do seu uso e produção pensamos contribuir para determinar o legado das influências das culturas árabe judaica e cristã que coexistiam no Portugal Românico.
Este tema será tratado de um ponto de vista da história da arte e ciências moleculares, capaz de caracterizar os scriptoria e a sua evolução durante o séc. XII e o 1º quartel do séc. XIII. Começaremos por quantificar as cores dominantes e as suas combinações nos fundos nacionais; nomeadamente nos manuscritos de Alcobaça, Arouca, Lorvão e Santa Cruz. Procederemos, em seguida, a uma comparação com outros fundos internacionais. A quantificação será realizada através de uma análise digital das áreas de cor. Dado que o processo de degradação de uma tinta afecta a nossa percepção da cor, a sua caracterização a nível molecular é fundamental, de forma a evitar interpretações erróneas quanto ao significado e distribuição da cor nos manuscritos.
Os ligantes, componente invisível da cor, podem igualmente ter uma influência fundamental na sua percepção e desempenham um papel chave nas mudanças de cor através dos tempos. Uma particular atenção será dada à sua completa caracterização através do uso de técnicas imunoenzimáticas que permitem a detecção de anticorpos/antigenes específicos, por exemplo o ensaio ELISA.
Pretendemos preparar um livro que descreva as descobertas mais importantes e os resultados  da nossa investigação. Será considerada igualmente a possibilidade da criação de uma página Web  em que os resultados  possam ser divulgados. Exploraremos novos caminhos para difundir  as nossas conclusões entre o público em geral, e muito particularmente junto das crianças, contribuindo para  dar a conhecer  a arte da iluminura medieval através da exploração das novas tecnologias interactivas. Pretendemos desenvolver um sistema interactivo que seja atraente, intuitivo e simples de usar, onde serão recriados os objectos físicos que foram utilizados, na vida real, na produção da iluminura medieval. Esta instalação simulará o processo criativo, abordando diversos aspectos, desde as fontes dos materiais e métodos de produção até à aplicação da cor e construção da imagem. Mostraremos igualmente o contexto histórico e social dessa época e revelaremos os significados das cores utilizadas e das imagens pintadas. Esta instalação interactiva poderá facilmente ser utilizada em sítios culturais, enriquecendo uma exposição, ou em instituições onde os livros estão conservados.
A equipa é constituída por 19 membros, incluindo 5 estudantes de doutoramento e quatro bolseiros de investigação, cujas bolsas serão pedidas no âmbito do projecto. Os bolseiros serão cruciais para a progressão do projecto. Com excepção dos cientistas informáticos e dos especialistas em testes imunológicos, todos os membros já trabalharam em equipa num ou nos dois projectos sobre o estudo da cor nos manuscritos iluminados portugueses. A investigação da História da Arte será coordenada por Adelaide Miranda, a caracterização molecular por Maria João Melo, a análise da imagem por João Lopes e as interfaces multimédia por Nuno Correia. Os consultores Mark Clarke e Augusto Aires do Nascimento contribuirão com o seu conhecimento científico em todas as tarefas do projecto. Dar-se-á continuidade às parcerias com a Biblioteca Nacional de Portugal, com a Biblioteca Pública Municipal do Porto, com a Direcção Geral dos Arquivos/Arquivo Nacional da Torre do Tombo e o Museu de Arte Sacra de Arouca.

Coordenação: Maria João Melo (Requimte e DCR-FCT-UNL) e Maria Adelaide Miranda (IEM, IHA e FCSH-UNL)

Instituições participantes: BNP, BPMP, CITI, FCT-UNL, FCSH-UNL, FF-UP, DGARQ-TT, IBET, ICETA, IEM, IHA, IICT, Requimte e Vicarte.

Membros da equipa: Ana Matias (IBET), Ana Lemos (IEM e FCSH-UNL), Teresa Serra (IBET), Catarina Miguel (Requimte e DCR-FCT-UNL), Inês Correia (IEM e FCSH-UNL), João A. Lopes (ICETA e FF-UP), Conceição Casanova (IICT e DCR-FCT-UNL), Nuno Correia (CITI e DI-FCT-UNL), Teresa Romão (CITI e DI-FCT-UNL), Solange Muralha (Vicarte), Rita Castro (DCR-FCT-UNL)

Financiamento: PTDC/EAT-EAT/104930/2008

bla