Departamento de Conservação e Restauro

Crossing borders

História, Materiais e Técnicas na Pintura Portuguesa do Romantismo, Naturalismo e Modernismo: 1850-1918

Propomo-nos desenvolver uma investigação de carácter interdisciplinar, promovendo a colaboração entre disciplinas das áreas da ciência e da arte. A investigação centrar-se-á na prática artística de mestres portugueses, abarcando os movimentos artísticos do Romantismo, Naturalismo e Modernismo.

Resumo integral
Historiadores de arte, curadores, conservadores, cientistas da conservação e da informática colaborarão no estudo de obras seleccionadas das colecções da Casa Museu Anastácio Gonçalves (CMAG), do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian (CAM) e do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado (MNAC-MC). Esta investigação contribuirá para estabelecer uma caracterização mais precisa destes movimentos artísticos, nomeadamente discriminar se as suas práticas eram únicas ou semelhantes às utilizadas por outros artistas noutros países, e assim perspectivá-los num contexto histórico e social. Também contribuirá para um melhor conhecimento dos mecanismos de envelhecimento dos materiais da obra de arte, com o objectivo de desenvolver estratégias de conservação mais adequadas à sua preservação.
Os principais temas incluem o estudo da composição, a nível molecular, das tintas bem como a análise computacional da pincelada. Recentemente, a análise computacional provou ser um instrumento importante para estabelecer diferenças entre práticas artísticas e, no âmbito deste projecto, procuraremos avaliar as suas limitações e os seus pontos fortes. Paralelamente a esta análise dos materiais e técnicas na obra, será efectuada pesquisa histórica, que incluirá informação sobre onde os artistas adquiriam os seus materiais, que livros liam e ainda pesquisa nos arquivos das casas fornecedoras, nomeadamente o arquivo da Winsor & Newton. A informação obtida será utilizada para efectuar reproduções rigorosas das tintas originais e da técnica artística bem como para seleccionar reproduções já levadas a cabo por Leslie Carlyle. Em conjunto, estas valências, permitirão a caracterização da paleta molecular e revelarão a “mão” do artista na obra.
Os artistas seleccionados são Miguel Lupi e Cristino da Silva (Romantismo); Silva Porto, Marques de Oliveira, Columbano e Artur Loureiro (Naturalismo); Amadeo de Souza-Cardoso e Eduardo Viana (Modernismo). Para levar mais longe a avaliação do potencial da análise computacional da pincelada, também será analisado um número restrito de pinturas geométricas de Joaquim Rodrigo, Fernando Lanhas e Nadir Afonso. Estes artistas procuravam eliminar os vestígios da “mão do artista”, razão pela qual será interessante testar se efectivamente foram capazes de o fazer. Com base no número de investigadores na equipa e nos três estudantes de doutoramento (Ana Margarida Silva, Cristina Montagner e Diogo Sanches, bolsas FCT-MCTES) prevê-se que serão analisadas, de forma completa, um total de 70 obras.
Neste contexto multidisciplinar, o design experimental mais eficaz será discutido e implementado. A formação de jovens investigadores será estimulada e será constituído um primeiro grupo multidisciplinar para o estudo da prática artística de criadores portugueses, envolvendo especialistas dos museus e da universidade. A equipa trabalhará para transformar a experiência adquirida em ferramentas úteis a serem utilizadas pela Polícia Judiciária (PJ) nos processos de investigação criminal e/ou em tribunal. Será dedicada atenção especial à divulgação dos conhecimentos adquiridos, nomeadamente à elaboração de monografias dedicadas à história, materiais e técnicas dos movimentos artísticos estudados, seguindo o paradigma da colecção "Art in the making". Estas monografias interessarão tanto a especialistas em áreas como a história da arte, museologia e conservação como o público em geral. Será também disponibilizada uma base de dados detalhada dos materiais e técnicas artísticas. Finalmente, para divulgação científica junto do público em geral e sob orientação de Inês Fonseca Santos, será elaborada uma proposta para uma série documental a transmitir na RTP2 e um documentário.
A investigação em história da arte será coordenada por Raquel Henriques da Silva (FCSH-UNL), em colaboração com os seguintes membros dos museus, MNAC-MC: Pedro Lapa, Maria de Aires Silveira, Adelaide Ginga, CAM: Helena de Freitas, CMAG: José Alberto Ribeiro; e Rita Macedo da FCT; a investigação dos materiais e técnicas artísticas será conduzida por Leslie Carlyle, Márcia Vilarigues e Maria João Melo (FCT-UNL); a análise computacional de imagem por Nuno Correia (FCT-UNL). A consultora Leonor Sá (PJ) dar-nos-á informação sobre os requisitos relacionados com falsificações em pintura para os processos de investigação criminal e/ou em tribunal. Marcello Picollo contribuirá com o seu conhecimento do uso da técnica de FORS em estudos artísticos. A experiência de Jaap Boon, responsável pela coordenação de projectos pioneiros e paradigmáticos nesta área como MOLART e De Mayerne, contribuirá para enriquecer o projecto e o seu impacto.

Coordenação: Maria João Melo (NDCR-FCT/UNL), Márcia Vilarigues (NDCR-FCT/UNL) e Raquel Henriques da Silva (DHA/FCSH)

Instituições/Centros participantes: Requimte, VICARTE e CITI FCT/UNL; IHA-FCSH/UNL; CAM, Casa Museu Anastácio Gonçalves, Museu do Chiado-Museu Nacional de Arte Contemporânea.

Membros da equipa: Ana Margarida Silva, Ângela Ferraz, Cristina Montagner, Diogo Sanches, Inês Santos, José Alberto Ribeiro, Leslie Carlyle, Margarida Elias, Adelaide Ginga, Maria de Aires Silveira, Maria Helena de Freitas, Marta Félix, Nuno Correia, Rita Macedo, Rui Jesus, Vanessa Otero.