Mestrado em Conservação e Restauro

Ensino

Mestrado em Conservação e Restauro

Entrou em funcionamento no ano lectivo de 2006/2007. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 120 (2 anos).

Objetivos

O Mestre em Conservação e Restauro terá autonomia para aplicar os fundamentos da Conservação Preventiva, bem como para exercer intervenção curativa sobre a Obra, ou seja, para Restaurar.

A competência para levar a cabo uma intervenção de Restauro implica uma atitude crítica e um diagnóstico profundo que permitirá não só caracterizar o estado de alteração e patologias da Obra como propor as medidas de intervenção, preventiva ou curativa, mais correctas. Assumem particular relevo na formação dessa atitude crítica, a história e técnicas de produção artística e os métodos de exame e análise em Arte e Arqueologia.

No estágio final, de duração anual, o aluno construirá a sua área de especialização. No estágio, os estudantes são preparados para os problemas abertos e ambíguos que serão o quotidiano na sua vida profissional futura, bem como para o “stress” do trabalho diário numa economia de mercado, muito competitiva.

O profissional formado saberá inovar, actualizar-se em permanência e competir a nível internacional.

PLANO CURRICULAR (PERCURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO)

Saídas profissionais

  • Museus Nacionais e Regionais
  • Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR)- C&R do Património edificado
  • Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN)- C&R do Património edificado
  • Instituto Português de Conservação e Restauro (IPCR)
  • Bibliotecas e Arquivos Nacionais e Distritais
  • Câmaras Municipais e outros órgãos de gestão autárquica
  • Outras instituições, responsáveis por espólios de interesse histórico-artístico
  • Investigação e desenvolvimento; inovação tecnológica
  • Criação ou participação em pequenas e médias empresas para Restauro, Análises Científicas e outras actividades relacionadas com a Conservação e Valorização do Património Cultural

 

Horário de funcionamento:

Diurno

Propinas:

Estudantes nacionais: 1.063,47 €/anual

Estudantes internacionais: 7000 €/anual (Redução de 60% para estudantes da CPLP)

Prazo de candidatura:

1ª fase: 1 de maio a 14 de julho de 2019

2ª fase: 26 a 31 de Agosto de 2019

 

Os candidatos aceites terão de pagar (no prazo máximo de 7 dias seguidos a partir da data de colocação) uma taxa no valor de 100 euros, não reembolsável, a deduzir, após a matrícula, no valor total da propina.
O não-pagamento dentro deste prazo implica a exclusão automática do candidato. Não são consideradas exceções  nem pagamentos em atraso.
 

CANDIDATURAS

Condições de acesso para o ano letivo de 2019/2020

Vagas para 2019/2020:

20

Regras de acesso:

  1. Titulares de grau de licenciado, que possuam um número mínimo de 80 créditos nas áreas da Conservação (CONS) e Ciências da Conservação (CCONS) (CONS + CCONS = 80 ECTS) e 20 créditos na área das Ciências Humanas e Sociais (20 ECTS).

  2. Titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado em Conservação, pelo Conselho de Departamento de Conservação e Restauro e pelo Conselho Científico da FCT/UNL.

  3. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade pela realização deste ciclo de estudos pelo Conselho de Departamento de Conservação e Restauro e pelo Conselho Científico da FCT/UNL.

(Para casos específicos existe a possibilidade de realização de um Ano Preparatório)

Critérios de seriação:

  1. Em regra, os alunos serão seriados pela  classificação académica obtida no primeiro ciclo;
  2. em caso de empate, efectua-se uma segunda seriação, tendo em conta o número de anos que o aluno levou a concluir o 1º ciclo;
  3. por fim, se ainda for necessário para desempate, será considerada a idade do candidato.

Coordenadora do curso:

Professora Joana Lia Ferreira

mcr.coordenador@fct.unl.pt

Navegação